Ultimas

AO VIVO

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Delegado seccional de Rio Preto pede exoneração após denúncias de assédio moral e sexual José Mauro Venturelli, que ocupava o cargo de delegado seccional de São José do Rio Preto (SP) desde 2012, é acusado de cometer assédios contra uma policial civil.




O delegado José Mauro Venturelli, que ocupava o cargo de delegado seccional de São José do Rio Preto (SP) desde 2012, foi exonerado na manhã desta quinta-feira (3). O desligamento foi publicado pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, no Diário Oficial.
A TV TEM procurou o delegado para se posicionar sobre o assunto, mas ele não atendeu aos telefonemas.
Venturelli foi acusado de assediar sexualmente uma policial civil e é investigado pela Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo. O pedido de exoneração do cargo de delegado seccional partiu do próprio Venturelli e foi apresentado no Deinter 5, nesta quarta-feira (2).
Denúncia foi feita contra o delegado seccional de Rio Preto  — Foto: Reprodução/ TV TEM Denúncia foi feita contra o delegado seccional de Rio Preto  — Foto: Reprodução/ TV TEM
Denúncia foi feita contra o delegado seccional de Rio Preto — Foto: Reprodução/ TV TEM
A denúncia contra o delegado partiu do vereador de Rio Preto, Anderson Branco, que chegou a usar a tribuna da Câmara, no dia 11 de dezembro, para falar sobre o caso.
No último dia 29, uma reportagem da TV TEM mostrou, com exclusividade, o depoimento da mulher do vereador na Corregedoria da Polícia Civil, confirmando a denúncia de assédio.

Denúncias

Durante a declaração à Corregedoria, a policial que denunciou o delegado disse que o assédio começou entre os anos 2013 e 2014, quando ele "começou convidar a declarante para sair". Ela disse ainda que recusava os convites, pois sabia que Venturelli era casado.
Também afirmou que o delegado sempre a procurou e dizia que ela poderia manter um relacionamento com ele e que seria "favorecida" com benefícios se aceitasse.
Trecho de denúncia aponta que o delegado cometia assédios contra a policial civil  — Foto: Reprodução/ TV TEM Trecho de denúncia aponta que o delegado cometia assédios contra a policial civil  — Foto: Reprodução/ TV TEM
Trecho de denúncia aponta que o delegado cometia assédios contra a policial civil — Foto: Reprodução/ TV TEM
Durante o depoimento, a policial disse que conversava com o delegado seccional por aplicativos de mensagens. Algumas conversas do seccional, segundo ela, eram de conotação sexual.
Ela afirmou na corregedoria que nas conversas por aplicativo dava respostas "amistosas" ao seccional, porque tinha medo de ser perseguida. A policial civil afirmou no depoimento que está afastada do trabalho, com quadro de depressão, por causa do assédio.
Em nota, a Corregedoria da Polícia Civil informou que recebeu a denúncia no dia 11 de dezembro e não irá divulgar mais detalhes para não atrapalhar as investigações.
Sobre as denúncias, José Mauro Venturelli respondeu à TV TEM que não possuía conhecimento formal das declarações.
Também disse que o Ministério Público tomou os conhecimentos dos fatos e não vislumbrou prática de assédio. Por fim, afirmou que vai se manifestar ao órgão competente quando for notificado.
Veja mais notícias da região no G1 Rio Preto e Araçatuba

Postar um comentário

 
Copyright © 2013 Acontece em Foco
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates