Ultimas

AO VIVO

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Mais um suspeito de participar de assalto a joalheria é preso em São Paulo


O terceiro suspeito preso seria o mentor do assalto realizado no último dia 15 no Calçadão de Rio Preto. Ele seria integrante de uma facção criminosa que age no estado
Mais um suspeito de participar do assalto a joalheria no Calçadão de Rio Preto foi preso nesta quinta-feira, dia 27, no bairro Capão Redondo, zona sul de São Paulo. Até o momento, oito pessoas já foram identificadas. Além da prisão, policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Rio Preto localizaram a casa usada pela quadrilha nos dias que antecederam o roubo. O imóvel fica no bairro Vale do Sol.
Para não atrapalhar as investigações, o nome do suspeito detido não foi divulgado, mas o delegado responsável pelo caso, Alceu Lima de Oliveira Júnior, deu detalhes sobre sua participação no assalto.
 “No dia do assalto, ele não estava em Rio Preto, mas teria ajudou diretamente no planejamento. Dias antes da ação ele veio até a cidade e alugou uma casa que serviu de base para quadrilha. Depois de tudo esquematizado, ele voltou para capital” explica.
O delegado explica que o suspeito detido é dono dos dois automóveis usado pela quadrilha e seria membro de uma facção criminosa.
“O primeiro carro apreendido pela Polícia Rodoviária Estadual na rodovia dos Imigrantes próximo a Baixada Santista com um casal dias após o assalto e o automóvel apreendido nesta quinta-feira no Capão Redondo estão no nome do pai deste suspeito. Ele usa o nome do pai, que é um idoso, para não levantar suspeita. Investigações apontam que ele seria membro de uma facção que age no estado” conta.
Imóvel alugado
Alceu explica que os investigadores conseguiram a localizam do imóvel usado pela quadrilha, após ouvir o depoimento de William Seixas, de 24 anos. Ele seria o motorista do HB/20 usado pelo grupo na hora do assalto e forneceu detalhes aos policiais.
“Durante o depoimento dele (William) perguntamos onde ficava a casa usada como base pela quadrilha. Como ele é de São Paulo e não conhece a cidade, começamos a questioná-lo sobre pontos de referências próximos ao imóvel. Se existia lanchonetes ou supermercados próximo. Então ele nos disse que a casa ficava próximo a um bairro onde existem muitas garotas de programas, que inclusive alguns membros da quadrilha teriam feito programas com as mulheres” conta.
O suspeito foi levado até o Jardim Paraíso e passou a guiar os investigadores até chegar a uma casa que fica na rua Servantes Arantes no bairro Vale do Sol, próximo a zona do meretrício.
O imóvel já estava vazio e, segundo apurado pela DIG, a quadrilha chegou local dois dias antes do assalto. Após praticarem o roubo, o grupo não retornou a residência e fugiu por rotas alternativas para São Paulo.
Vizinhos não prestaram depoimentos a Polícia Civil, mas alguns teriam afirmado terem visto os três carros da quadrilha no imóvel.
Mais um suspeito identificado
Além do suspeito preso no Capão Redondo nesta quinta, policiais da DIG de Rio Preto em parceria com agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) identificaram mais um integrante da quadrilha.
“Conseguimos identificar o terceiro assaltante que entrou na joalheria durante a ação. Já são cinco criminosos que conseguimos a qualificação. Os três que entram no estabelecimento, o motorista do HB/20 e o assaltante que atirou nos GCMs. No total, até o momento oito pessoas foram identificadas, sendo que três já estão presos” afirma Alceu

GAZETA DE RIO PRETO 

Postar um comentário

 
Copyright © 2013 Acontece em Foco
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates